O absurdo
por Larissa Prado
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
ContatoContato
LinksLinks
Textos


TARTAROS

Por sete anos cantei minha história 
de sangue e sacrifício,
na pele carrego as marcas 
da autoflagelação. 

Ainda poderão ouvir,
se prestarem bem atenção:

O eco das grutas da morte
resulta do meu último grito.
Preso entre a dor e o prazer,
clamei aos olhos celestes
que elevassem a alma de um pobre demônio ferido.

Sujo e gasto,
Decrépito e maculado,
forjei com as próprias mãos
os portões de Tártaros

na vã esperança de alcançar
a atenção dos céus,
entreguei-me a uma existência mórbida:

você descobre que pode morrer

e continuar 

respirando

(esse ar de enxofre que a alma exala.)

 
Larissa Prado
Enviado por Larissa Prado em 29/11/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.