O absurdo
por Larissa Prado
CapaCapa
TextosTextos
┴udios┴udios
E-booksE-books
PerfilPerfil
Livros Ó VendaLivros Ó Venda
ContatoContato
LinksLinks
┴udios

Desprender
Data: 27/06/2019
Créditos:
Poesia: Desprender - Larissa Prado
Voz: Leandro Aguilar
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Desprender

Criar asas para sobrevoar os mares
desses pútridos e ocultos medos engendrados na alma
que cegam.
Chegar alto
no zênite do tempo,
ultrapassar o impossível.

Cortar as asas para despencar 
em queda livre
no âmago da solidão,
enterrar-se fundo,
perder-se no absurdo e 
renascer profano,
desnudo,
inútil para trivialidades.

Sem asas, sem céus ou mares,
sem ser, desaprender a repetir,
perder as asas para abrir olhos 
por todos lugares;
mesmo com os pés no chão
ser onisciente, seu próprio deus,

desprender-se
no próprio infinito. 
Enviado por Larissa Prado em 27/01/2017

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.